« Home | Auto-defesa em processo penal » | FORMAÇÃO E/OU SELECÇÃO - ITÁLIA » | A Justiça no protocolo de Estado » | Casamentos Gay » | A CORRUPÇÃO ... EM VÉSPERAS DE NOVO CÓDIGO » | Sigilo bancário (actualizado) » | Actividades da CIA na Europa » | Legitimidade democrática e Poder Judicial » | A legitimidade democrática e a presidência do Supr... » | Uma infeliz escolha de palavras »

Os artistas que melhoram as nossas vidas

«A Federação Portuguesa de Futebol vai pedir ao Governo que isente de IRS os prémios de participação que os jogadores vão receber, no valor de 50 mil euros cada».


A razão está nisto:

«Os prémios devem ficar isentos de imposto porque a selecção "contribuiu para a divulgação e prestígio" do país». «Em causa está o nº 5 do artigo 13º do Código do IRS, segundo o qual este imposto "não incide sobre os prémios atribuídos aos praticantes de alta competição, bem como aos respectivos treinadores, por classificações relevantes obtidas em provas desportivas de elevado prestígio e nível competitivo"».

Trata-se, pois, de uma questão de publico reconhecimento pelos bons serviços prestados pelos "artistas da bola".

Já os calceteiros portugueses, "artistas da pedra", que, por muito menos dinheiro, também melhoram as nossas vidas, embelezando e ensinando a embelezar cidades aquém e além-mar e, perante os turistas que nos visitam, prestigiando a nossa cultura, esses, se querem receber 50 mil euros líquidos, vão ter que "partir muita pedra"...

ligado

Criar uma hiperligação