« Home | Reforma do modelo de organização da segurança inte... » | Tribunal da Boa Hora: Falha na gravação obriga a r... » | Diz o que faz quem viu » | ...ser preso por não ter » | FORMAÇÃO E/OU "SELECÇÃO" - HOLANDA » | «COMPLEX» SED LEX » | "DON'T CRY FOR ME ARGENTINA" » | Títulos e notícias... » | Humor » | "VIVE LA FRANCE" »

Calar ou Não Calar / falar ou Não Falar


"E as intervenções dos juízes não têm também de surgir apenas no âmbito duma Associação Sindical (a que existe ou outra, porque também era tempo de acabar com esse tabu).

Não devem ficar-se por aí, isto apesar da enorme capacidade de intervenção no exterior que daí resulta (capital este que tem sido desaproveitado e mesmo por vezes malbaratado, sendo certo que mais uma vez volta a ser possível, dar a oportunidade a quem pode fazer diferente, para melhor).
E é para o exterior que os focos devem estar virados : não para dentro, para os juízes - porque isso acaba por enfraquecê-los - mas para fora, para os cidadãos, porque eles podem ser os nossos melhores aliados (desde logo por serem os principais beneficiários de actividade jurisdicional desenvolvida com condições e com meios adequados).

Os juízes não podem estar confinados numa redoma que não só não os protege como não os defende, têm é de aparecer (enquadrados ou não), mas com discursos consistentes, credíveis e respeitados (pondo de lado as pequenas vaidades pessoais dos que querem aparecer e dos que querem evitar que outros apareçam...)."
.
É um pouco longo mas vale a pena ler.
ESte artigo é importante para um debate enriquecedor. - Para continuar a ler abrir: -http://poder-judicial-2006-mjd.blogspot.com/ , - CALAR OU NÃO CALAR / FALAR OU NÃO FALAR.

ligado

Criar uma hiperligação