« Home | O poder e a função » | «O menino de sua mãe» » | Sinistralidade rodoviária » | O que está na causa » | O último capítulo do estudo » | Blaise Pascal » | Faleceu o Conselheiro Araújo de Barros. O corpo es... » | Desculpem-me a fuga ao tom » | Uma inserção à margem » | Bem, se Voltaire dizia ... »

Inclusões e exclusões

No discurso de Sua Excelência o Senhor Presidente da República, aquando da celebração do 32.º aniversário do 25 de Abril, focou a necessidade de inclusão dos excluídos.
Totalmente de acordo.
No entanto, regista-se que, em mais um discurso oficial (o mesmo sucedeu no
discurso aquando da sua tomada de posse) ocorre uma exclusão que não se compreende. Enquanto todos os representantes dos partidos com assento no Parlamento e Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República (link) na sua evocação inicial respeitaram integralmente a ordem constitucional dos poderes soberanos do Estado, com menção expressa de Suas Excelências os Presidentes do Supremo Tribunal de Justiça, do Tribunal Constitucional e dos Tribunais Superiores, já Sua Excelência o Presidente da República omitiu-o por completo.
Uma exclusão que a Constituição exige inclusão.

Bem visto

Estive atento ao discurso do Dr Cavaco Silva e ele dirigiu-se ao Presidente AR, ao Primeiro Ministro (que também era convidado!), aos senhores deputados e demais presentes.
Inequivocamente omitiu os representantes do poder judical, porque não se esqueceu dos outros dois.
Tendo-o já feito no seu discurso de tomada de posse, como bem destaca o post, trata-se de uma omissão muito grave, pois o Presidente do STJ é a 4.ª figura do Estado, acima inclusivamente dos próprios deputados a quem o Dr. Cavaco Silva se dirigiu.
É pena.
Espero que os seus assessores bem pagos lhe lembrem de não excluir o poder judicial da orgânica constitucional do Estado.
Só lhe fica bem.

Enviar um comentário

ligado

Criar uma hiperligação