« Home | Formação permanente: direito ou dever do juiz? » | Ainda sobre os interrogatórios de cidadãos (arguid... » | Um novo argumento em prol da Contingentação » | Os interrogatórios de arguidos detidos » | Responsabilidade Extracontratual do Estado por dan... » | Sobre a responsabilidade civil do Estado por danos... » | Prefácio »

Interrogatórios e detenções dos arguidos: uma reflexão francesa

Maria de Fátima Mata-Mouros
Ainda a propósito dos interrogatórios e detenções dos arguidos, em especial depois de ler o pertinente desenvolvimento sobre o tema subscrito pelo PRF, seria interessante conhecer o que o sindicato da magistratura francês anda a fazer, divulgando o seu parecer na mesa redonda temática há dias organizada pela comissão parlamentar sobre a instrução (desde o "fiasco" do caso Outreau que a reflexão em torno da instrução criminal voltou à ordem do dia em França), ontem mesmo publicado no site http://www.syndicat-magistrature.org
La détention provisoire constitue l'atteinte la plus grave au principe de la présomption d'innocence.
Continue a ler o "Interrogatórios e detenções...".

Ainda há poucos meses vi num despacho deste tipo a expressão já desaparecida da lei de "liberdade provisória".
É sintomático.

Saudações e felicidades!
Permitam-me um comentário! Breve, rude, mas sentido. Feito de muita frustração e da consciência de que é possível mudar!
Deixei-o aqui: http://patologiasocial.blogspot.com/2006/03/o-interrogatrio-judicial-de-aguidos.html

jab

Enviar um comentário

ligado

Criar uma hiperligação